SPFW Verão 2016: o primeiro dia em cinco acessórios

E começou o São Paulo Fashion Week, minha gente! Deram uma olhada no que foi apresentado no primeiro dia de desfiles? Não? Então vem comigo que o resumo aqui é rápido e preciso! Todos os dias escolherei um acessório de cada desfile para contar de onde vieram as inspirações das marcas – e para você já ir pensando quais delas combinam com seu futuro guarda-roupa de verão 😉

Bora lá?

– o colar da Animale

A marca, que se inspirou no estilo esporte fino do café society (estilo de vida nova-iorquino da década de 1930, em que as pessoas usavam suas roupas mais luxuosas para jantar, jogar e dançar), trouxe esse colar statement para a passarela. Um colar forte, com personalidade. Sim, pode ser que você não saia com um desses na rua, mas já parou para pensar que um colar incrível muda toda a cara daquela blusinha básica do trabalho? #ficadica

colar animale

– o cinto duplo da Uma Raquel Davidowicz

Pode querer usar agora? Não vai dar para esperar o verão, minha gente! A cintura marcada já vai ser febre no inverno, e a Uma mostrou que ela vai continuar firme e forte quando a temperatura subir. A inspiração da marca foi a androginia e as peças roubadas do guarda-roupa masculino. Se essa é a sua pegada, se joga!

uma raquel

– os óculos escuros da PatBo

Ah, os anos 1960… Nenhum acessório arremata melhor o mood ladylike dessa década do que um bom par de óculos escuros. Os modelos da Ótica Ventura que acompanharam os looks criados por Patrícia Bonaldi são lindos sem ser açucarados demais. Ponto para eles!

detalhes-patbo-spfw-verao2016-011-654x985

– a mochila da TNG

Ah, os anos 1960 (de novo)… Só que aqui o clima é tropical: a TNG se inspirou no filme Blue Hawaii, estrelado por Elvis Presley, e em todo o universo havaiano. O resultado? Essa mochila estampada linda, que também é tendência desde já – falamos de mochilas faz pouco tempo, lembra?

tng-detalhes-spfw-verao2016-11-654x981

stitch gif

Sério, não tinha como não lembrar de Lilo & Stitch ❤

– as botas da Cavalera

Um dos desfiles mais esperados do dia, a Cavalera se inspirou no artesanal indígena, mais especificamente na tribo Yawanowá, que inclusive fez uma apresentação antes de os modelos tomarem a passarela – que na verdade era o Parque Villa Lobos. Para contrastar a vibe “bordados+patchwork” e relembrar a alma rock’n roll da marca, botas cheias de fivelas. Mas na cor do verão, claro.

detalhes-cavalera-spfw-verao2016-040-654x983

Gostaram? Ansiosos para o segundo dia de desfiles? Comentem!

SPFW: traga as tendências da passarela para o seu guarda-roupa

Passado o São Paulo Fashion Week (SPFW), nós nos perguntamos: e agora? O que fazer com todas as tendências apresentadas na passarela? E, mais importante, como usá-las no nosso dia a dia sem exagerar? Especialistas dão as dicas para não errar na próxima estação, confira!

Transparências, vazados e renda: as tendências que vieram fortes no verão continuarão em alta no inverno. “Para usar a transparência na medida certa basta ficar atenta as ocasiões. Por exemplo, no trabalho, camisa com regata por baixo vai bem, lembrando que no ambiente de trabalho o comprimento deve ser avaliado para não ficar vulgar”, orienta Priscila Marx, professora de estilo da Escola de Moda Sigbol Fashion.

Destaque do SPFW: Alexandre Herchcovitch – várias camadas de renda dispensam o forro do vestido

Cintura marcada: definir a cintura cai bem em quase todos os corpos, pois cria uma proporção harmoniosa. “Para silhueta retângulo, por exemplo, cria a cintura que a mulher não tem; já a silhueta ampulheta harmoniza a proporção do seu corpo usando um cinto largo; a plus size oval pode apostar na cintura marcada para disfarçar a região da barriga e alongar a silhueta”, indica Priscila.

Destaque do SPFW: Maria Bonita – cintura no lugar para realçar feminilidade

Mistura de tecidos: durante o verão, reinaram as misturas de estampas. Na próxima estação, o que vai bombar é a mistura de matérias-primas. “Isso tem bastante a ver com a nossa realidade de inverno, já que o calor continua. É uma adaptação: temos as peles e lãs, mas ao mesmo tempo temos também jeans e organza”, resume Marcio Banfi, professor do curso de Moda da Faculdade Santa Marcelina e editor da revista Gloss. Experimente usar uma blusa de tecido leve com uma saia de tecido mais pesado.

Destaque do SPFW: Cavalera – mix harmonioso

Camisa de seda: mais uma peça que vem tendo destaque desde a estação passada e continua com força no inverno. “A camisa de seda é uma peça que combina com qualquer tipo de corpo, em diversas situações”, conta Suzy Okamoto, professora da Universidade Anhembi Morumbi.

Destaque do SPFW: Animale – camisa sofisticada em look despojado

Inverno dourado e colorido: além do preto, coringa da estação (e talvez de todo o ano), o inverno terá outros tons, e nem todos escuros. Virão os caramelos (marrons claros), amarelo mostarda e vermelho intenso.“São cores fortes, levemente fechadas, mas não são cores sombrias, tristes”, define Banfi. Mas tenha cuidado na hora de escolher um amarelo para chamar de seu. “O amarelo é uma cor que fica bem evidente, portanto é preciso escolher o tom que não te deixe pálido”, diz Suzy.

Outra cor que teve destaque foi o dourado, que veio de várias formas, não só nas roupas, mas nos acessórios. Para não errar: “abuse dos acessórios, ou use uma peça dourada com cores neutras, assim não a perigo de errar ou exagerar. O mesmo vale para o couro, que também estará em alta no inverno”, ensina Priscila.

Destaque do SPFW: Jefferson Kulig – dourado iluminando o look em pequenos detalhes

Gostaram? Queria mais SPFW…rs

SPFW, 1º dia: conversa com Constanza e Geisy Arruda

Ai pessoas, ontem fui ao primeiro dia de São Paulo Fashion Week (SPFW). Primeiro desafio: a fila para pegar a credencial. Acabaram misturando quem já tinha feito a credencial com quem ainda precisava fazer (como esta que vos fala), fora o pessoal da imprensa internacional, que, como sempre, tem prioridade no atendimento. Logo, nunca vi uma fila tão fashion antes…rs

Minha credencial descansando…logo logo tem mais! rs

Enfim, entramos (por “entramos” entenda eu e o outro repórter, Antenor). E logo fui envolvida por uma fina nuvem de gelo seco. A exposição “Universo Criativo – Projeto Brasil 2” está maravilhosa, com trabalhos de grandes estilistas como Herchcovitch, André Lima, Lino Villaentura e João Pimenta. Vale a pena conferir!

E vamos à sala de imprensa! Tudo muito organizado e confortável, se bem que em alguns momentos a conexão com a internet ficou um pouco lenta. Muitos jornalistas trabalhando ao mesmo tempo dá nisso…Primeiro desfile: Animale. Fomos entrevistar os famosos antes que eles entrassem na sala de desfiles. Conversei com Constanza Pascolato, Marina Ruy Barbosa, Fiorella Matheis e Ana Beatriz Barros, que desfila com exclusividade para a marca. Veja minha entrevista com a top clicando aqui. E, para  ver minha entrevista com Constanza Pascolato, clique aqui!

Assim como na última edição do SPFW, a Animale abriu a semana de moda com um desfile luxuoso. A marca trouxe a top britânica Rosie Huntington-Whiteley, estrela do último filme da saga “Transformers” para a passarela, assim como as beldades brasileiras Ana Beatriz Barros, Izabel Goulart e Aline Weber.

A coleção se inspirou no luxo dos antigos czares russos, com to veludo sendo a base para todo tipo de peças, de macaquinhos a ternos. A cartela de cores foi variada: passou pelo vermelho, champanhe e ouro.

A Animale também abusou das transparências e fendas, mostrando que vem por aí um inverno glamuroso.

Enviamos os vídeos para a redação e voltamos à luta! Próximo desfile: Tufi Duek. Eis que eu vejo uma loira toda de cor de rosa chegando. Ela mesma, Geisy Arruda. Falei com ela sobre moda e carnaval. Também estavam na primeira fila do desfile Larissa Maciel, que estava toda vestida de Tufi Duek (gente chique é outra coisa…) e Tainá Müller, toda apressada. Fiquei sabendo que a Carol Castro esteve por lá: para mim ela se materializou lá dentro, só pode ser. Assista minha entrevista com Larissa Maciel e Tainá Müller clicando aqui.

Tufi Duek deixa o Xingu, que inspirou a última coleção, e se volta para o minimalismo. Cores neutras e formas coladas ao corpo, que em alguns momentos chegaram a atrapalhar o caminhar das modelos, marcaram o desfile de inverno da marca. Mesmo apostando nos looks monocromáticos, a marca não deixou os metalizados de fora da passarela.

A peça chave do desfile foram os vestidos alongados, com volume localizado.

Mais vídeos enviados, lá vamos nós de novo. Desta vez o desfile, da Cori, seria na sala 3, a mais próxima da sala de imprensa, o que facilita a vida de quem já está um pouco cansado de caminhar pela Bienal inteira…mas que eu nem senti porque tudo é uma delícia quando a gente está trabalhando com o que gosta 🙂

Nenhuma celebridade à vista, fomos conversar com uma das maiores celebridades da própria RedeTV!: Iris Stefanelli. Coitada, também estava lá a trabalho. Só que eu tinha uma vantagem: não estava de salto. Iris desistiu e ficou descalça mesmo, fazendo a alegria dos fotógrafos de plantão. Conversamos sobre trabalho e casamento.

O inverno da Cori se baseia no hipismo. Os acessórios em especial chamaram a atenção: bolsas estruturadas eram carregadas nas mãos ou com um bastão de metal. O mix de tecidos e as saias lápis também marcaram a nova coleção.

A cartela de cores veio terrosa, com conhaque, marrom, verde e bege. Somente uma coisa fugiu do padrão dos cavaleiros: as botas, que vieram com saltos e bico fino.

Próxima parada: Osklen. A sala de desfiles demorou muito para abrir, então o corredor estava repleto de pessoas ansiosas. Mas nenhuma celebridade novamente à vista. Decidimos voltar para a sala de imprensa e enviar o vídeo da Iris, que não tinhamos conseguido mandar durante o desfile da Cori. Mas, antes disso, minha paixão por revistas falou mais alto: fui até o lounge da revista Estilo – que já estava fechando – e só pedi um exemplar da revista. Graça atendida!

Oskar Metsavaht usou sua coleção de inverno para fazer uma reflexão sobre a Agenda 21, documento que ressalta a necessidade do estudo sobre as questões socioambientais. Resultado: peças em tecidos orgânicos e tingimentos à base de vegetais.

Osklen também apostou que o azul Klein continuará firme e forte na próxima estação. Outras cores que apareceram na passarela foram verde e vermelho tomate. As peças da coleção apresentaram modelagem variada, marcada com bolsos e zíperes.

Saímos da Bienal por volta das 22h30. Tomamos uma chuvinha básica, mas a viagem para casa foi tranquila. Agora é pensar no que esta sexta-feira nos reserva 🙂