SPFW, 3º dia: desfile de Mario Queiroz e a bendita fila da Melissa

Bom dia, meu povo! Nossa, se teve um dia que demorou para passar nesse São Paulo Fashion Week, esse dia foi ontem. A chuva que caiu em São Paulo deve ter deixado os famosos com preguiça de sair de casa. Acho que se eu fosse famosa eu também teria preguiça de sair com o temporal que teve ontem….rs

O primeiro desfile do dia foi fora da Bienal novamente. Reinaldo Lourenço apresentou sua coleção na FAAP. Olha, por lá até que apareceram uns famosos como Bia Antony, a esposa de Ronaldo Fenômeno, e a “mulher rica” Brunete Fracaroli. Mas, nesse momento, eu ainda estava no conforto do meu lar.

O clima era de mistério antes da entrada das modelos no desfile de Reinaldo Lourenço, que aconteceu fora da Bienal, na FAAP. Inspirado na Catedral de Notre Dame, em Paris, o estilista trabalhou com peças ao estilo gótico-chic, com muito preto, capuzes e bordados em cristais, também negros.
Reinaldo também usou pele falsa e couro em diversas peças. As joias, assinadas pelo designer Jack Vartanian, chamaram a atenção. Outro acessório que merece destaque são as bolsas de mão, feitas no mesmo formato de incensários.

Cheguei no Ibirapuera ainda sem chuva. Notei que haviam alguns bichinhos colocados na grama bem em frente à entrada para o SPFW, mas não entendi muito bem o que estava acontecendo. Depois, eu e Antenor descobrimos que se tratava de um manifesto do Move Institute contra o uso de peles de animais na confecção de roupas, e também o uso dos bichinhos em testes da indústria de cosméticos. Bacana parar para pensar sobre o lado menos glamuroso da moda, não?

Primeiro desfile na Bienal: Ellus. Foi o desfile que teve mais movimento, mas famosos que era bom…nada. Em compensação aconteceram duas situações bem bizarras. Primeiro, um rapaz pediu para tirar uma foto comigo fingindo que eu o estava entrevistando. Aff… Neguei, ele não entendeu bem o porquê (???) e foi embora. Em seguida, um outro rapaz se aproxima do Antenor e pergunta se ele se lembra dele. Oi? Era um maquiador que já havia trabalhado na RedeTV!, mas até reconhecer…

Ao som de uma orquestra, que tocou ao vivo, a Ellus apresentou sua coleção de inverno neste sábado (21). Na primeira parte da apresentação, o couro reinou absoluto em diversas peças.Já na segunda parte da apresentação, estampas de mapas e correntes, remetendo ao mundo viking.

A peça principal do desfile foi, novamente, a jaqueta perfecto. O jeans da Ellus será sarjado e levemente brilhante. A cartela de cores variou entre tons terrosos e o bronze.

Próximo desfile, Mario Queiroz. Como a apresentação seria na sala que fica ao lado da sala de imprensa, ficamos tranquilos, esperando dar o horário. Dez minutos para abrir a sala de desfiles e nada de aparecer um famoso. Olhei para o balcão de concierge e pensei: “será que eu conseguiria um convite?”. Não custava nada tentar. E deu certo! Enfim assistiria um desfile de um lugar que não fosse o meu sofá 🙂

Mario Queiroz, que desde sua última coleção também tem investido na moda feminina, aposta nas sobreposições para o próximo inverno. Saias plissadas sobre jeans, casacos compridos e azul escuro foram as chaves da coleção apresentada neste sábado (21) no prédio da Bienal.

As cores escuras dominaram a cartela, com algumas aparições de peças laranja. Destaque para os chapéus coco com aplicações. Ao final, em duas fileiras, homens e mulheres mostraram que os guarda-roupas de cada sexo estão cada vez mais parecidos.

A lá eu esperando o desfile começar…que felicidade!

Depois descobrimos que estiveram no desfile os atores Leopoldo Pacheco e Leonardo Miggiorin. Nada que rendesse uma entrevista relevante para o portal. O próximo desfile seria Huis Clos, e pelo menos neste eu esperava que aparecesse alguém famoso. Nada. Ficamos lá, sem fazer nada, mais uma vez.

Shorts e hot pants que lembravam baby dolls foram só o começo da coleção de inverno da Huis Clos, que teve todo um ar retrô e minimalista. A grife, que apresentou sua coleção neste sábado, trabalhou com veludo e malha de lã, criando peças leves.
A renda também apareceu em várias peças; em algumas, surgiu em fendas, fazendo as vezes de uma combinação. Destaque também para os ombros, volumosos graças a maxipregas.

Quando a sala de desfiles da Huis Clos se fechou, decidi que o dia estava parado demais e que se eu quisesse encarar a fila gigantesca no quiosque da Melissa para tentar ganhar um par essa seria a hora. O outro desfile só começaria mais de uma hora depois, dava tempo. É, deu tempo, mas não ganhei Melissa nenhuma. Só um chaveirinho após uma hora de fila…

O desfile seguinte seria o de Samuel Cirnansck. Teve até algum movimento, mas, novamente, nenhuma celebridade. Novamente tentei conseguir um convite, só que desta vez sem sucesso. Pelo menos por enquanto…

Samuel Cirnansck investiu em looks volumosos e femininos para o próximo inverno. Vestidos longos foram criados com diversos tipos de seda desfiada.
As joias vieram em forma de cristais tchecos bordados em tecidos transparentes, e nas rendas douradas da coleção. A cartela de cores variou entre off white, dourado e preto.

Sala de desfiles fechada, fim do dia certo? Ainda não! De repente, surgem algumas pessoas carregando sacolas cheias de…bloquinhos? Revistas? Não, convites para Cavalera hoje! Pedi, consegui e daqui a pouco sigo rumo à Estação da Luz, onde a marca apresentará sua coleção de inverno. Adoro!

SPFW, 2º dia: Isabella Fiorentino e caminhada com Evandro Santo

Bom dia! Lá vou eu em mais um dia de repórter no São Paulo Fashion Week. Ontem, sexta-feira, o dia começou parado, sabe? Acredito que foi porque o primeiro desfile, do queridinho Pedro Lourenço, foi fora da Bienal, em seu showroom em Pinheiros. Depois de um certo horário parece que todos os jornalistas chegaram juntos: devem ter vindo de caravana rs

O “menino-prodígio” Pedro Lourenço surpreendeu novamente. Em desfile realizado fora da Bienal, em seu showroom em Pinheiros, o jovem estilista apostou na Patagônia como fonte de inspiração para o inverno, deixando a aura tropical, que tomou conta de sua coleção anterior, para trás.

Pedro continua apostando nas maxiestampas e nas formas retas, assim como em degradês suaves e calças bicolores. Detalhe: os zíperes das peças eram todos banhados a ouro.

O primeiro desfile na Bienal seria de Rodrigo Rosner, estilista que ganhou notoriedade ao desfilar na Casa dos Criadores e agora conquistou seu lugar ao sol no SPFW. Mas, como o foco da minha cobertura são celebridades, também foi bem tranquilo. O desfile, que é o meu foco, foi um dos mais lindos do dia.

Mariposas. Estas foram as musas inspiradoras de Rodrigo Rosner, que estreou no SPFW nesta sexta-feira. Vestidos esvoaçantes, transparências e recortes localizados tomaram conta da passarela. Os sapatos pesados, cobertos de renda francesa, contrastavam com o clima leve.
A primeira coleção da grife R.Rosner para o SPFW veio repleta de vestidos de festa feitos em tecidos nobres, como chantilly metalizado e tafetá. Destaque também para os bordados caprichosos. De fato, Rodrigo começou sua história na maior semana de moda do país com muito estilo.
Voltei para a sala de imprensa, mandei os textos, aproveitei o quiosque do Boticário dentro da sala para passar um batonzinho (rs…) e desci para o desfile dele, Alexandre Herchcovitch. Ainda nas escadas já percebi alguns flashes: eram Rita Cadillac e Dicesar. Entrevistei os dois, um mais simpático que o outro. Rita, brincalhona e sincera: diz que, sim, faz compras no Brás, bairro de comércio popular em São Paulo. Já Dicesar deu altas dicas de moda masculina e elogiou meu figurino: ganhei o dia!
Para Alexandre Herchcovitch, o inverno será quente. Roupas em tons de pêssego, mostarda e ouro dominaram a passarela. Os modelos eram discretos, sem chegar ao ponto de serem “caretas”.
O grande destaque ficou por conta dos vestidos em renda. Feitos em várias camadas, não precisavam de forro. O xadrez e as estampas digitais também foram usados em vários looks, com um toque pessoal de Herchcovitch: caveiras entre os desenhos.
Carol Trentini belíssima em vestido com várias camadas de renda
Texto e vídeos enviados, partiu Iódice! A grande estrela esperada para o desfile era Adriane Galisteu, que chegou realmente causando alvoroço. Era fotógrafo em cima de fotógrafo, microfones (incluindo o meu) sendo apontados, uma bagunça. Mas consegui que ela me respondesse duas perguntinhas antes de se perder novamente no mar de jornalistas. Sucesso!
Quem também marcou presença no desfile da Iódice foi Marco Antônio de Biaggi, o cabelereiro das celebridades, que deu altas dicas para o inverno; aliás, acho que já decidi qual é a cor que quero nos meus cabelos rs. Também vi Val Marchiori (“ai querida, RedeTV!? Não posso falar com vocês…”) e entrevistei Rosana Ferreira, a Miss Bumbum, e Isabella Fiorentino. Sério, achei que não ia dar conta de falar com ela. Quem acompanha o Além das Tendências sabe, quero ser ela quando crescer…rs (Clique aqui para saber o que são it women, e porque eu amo Isabella Fiorentino)
A coleção de inverno da Iódice, apresentada nesta sexta-feira (20), se inspirou no livro “Rock and Royalty”, de Gianni Versace. O metal, principalmente nos tons bronze e rosé, marcou o desfile e deu o toque rock´n roll a vestidos e jaquetas.O vinil, que também nos remete aos “bolachões” escutados na vitrola, também marcou presença, mas não em roupas justas. As maxijoias usadas no desfile são assinadas por Fabrizio Giannone.

Para encerrar a noite, desfile da Triton e uma das melhores entrevistas até agora, na minha opinião: Evandro Santo, o Christian Pior. Ele contou o que é mais cafona hoje em dia, o que não pode faltar em semanas de moda e mostrou como trabalhar sempre pode render boas risadas!
Triton, que encerrou os segundo dia de desfiles do SPFW, teve modelos com base na geometria. Casacos estruturados marcaram a primeira parte do desfile; na segunda parte, bordados feitos em canutilhos e missangas deram as formas.

A cartela de cores variou entre os tons de chocolate, azul, amarelo e preto. Vestidos e calças apareceram com a cintura mais caída. Entre os tecidos, lã, tweed, crepe e organza.
Gostou? Daqui a pouco tem mais!
Para encerrar:
“Esforçai-vos e animai-vos; não temais nem vos espantei diante deles, porque o Senhor vosso Deus é o que vai convosco; não vos deixará, nem vos desamparará” – Deuteronômio 31:6

SPFW começa nesta quinta-feira; confira o line up

32ª edição do São Paulo Fashion Week começa nesta quinta-feira (16). E, neste ano, eu estarei lá (eeeeeee!…rs). E, como já é a cara do Além das Tendências, pretendo mostrar mais o que rola por trás do evento: o estilo das pessoas que circularão pela Bienal e também tudo o que acontece dentro da semana de moda paulista, afinal, tem gente que sonha em ir para o SPFW, mas nem sabe como as coisas funcionam…

Por exemplo: eu não vou assistir (a princípio) nenhum desfile. Nenhunzinho. Como vocês já sabem, tenho o costume de vê-los pela internet. Sendo assim, os comentários sobre o que rola na passarela serão feitos no dia seguinte, porque aí sim eu terei visto os desfiles (rs…). Para quem quiser acompanhar, o FFW transmitirá todos os desfiles ao vivo, e também terá os vídeos de cada apresentação depois.

Também, como já é de nosso costume, farei ao final da SPFW um resumão com as principais tendências apresentadas na passarela e, mais importante, como incorporá-las ao seu dia a dia.

Desfile da Iódice na última edição do SPFW (Foto: AgNews)

Além dos desfiles, a principal semana de moda brasileira também terá a exposição “Universo Criativo – Projeto Brasil 2”, que ocupará uma área de mais de 3 mil m², no piso térreo do prédio da Bienal. No período da semana de moda, a mostra será para convidados; a partir do dia 25 de janeiro ficará aberta ao público, com entrada gratuita 🙂

Confira o line up completo dos desfiles. Os que estão marcados como [externo] não ocorrem dentro da Bienal:

19 de janeiro, quinta-feira
17h – Animale
19h – Tufi Duek
20h15 – Cori
21h30 – Osklen

20 de janeiro, sexta-feira
12h – Pedro Lourenço [externo/showroom Pedro Lourenço]
15h30 – R.Rosner
17h30 – Alexandre Herchcovitch (feminino)
19h – Iódice
20h30 – Triton

21 de janeiro, sábado
12h45 – Reinaldo Lourenço [externo/FAAP]
15h30 – Ellus
17h30 – Mario Queiroz
19h – Huis Clos
21h – Samuel Cirnansck

22 de janeiro, domingo
12h – Cavalera [externo/Estação da Luz]
16h – Jefferson Kulig
17h30 – FH por Fause Haten
19h – Juliana Jabour
20h30 – Colcci

23 de janeiro, segunda-feira
12h10 – Gloria Coelho
15h30 – Maria Bonita
17h – Uma Raquel Davidowicz
18h30 – João Pimenta
20h – Lino Villaventura

24 de janeiro, terça-feira
11h30 – Neon [externo/Tucarena]
15h30 – Fernanda Yamamoto
17h – Alexandre Herchcovitch (masculino)
19h30 – Amapô
21h – André Lima

Preparados? Eu já estou com friozinho na barriga, mas vamos que vamos! 🙂