Fashion Files: como cuidar de biquínis de materiais diferentes

Feliz ano novo, people! Como passaram a virada?

Se vocês fizeram como a grande maioria das pessoas na minha timeline, vocês foram para a praia. Pularam ondinhas, usaram chapéus e adquiriram biquínis novos. E talvez estes biquínis sejam de materiais diferentes, como crochê ou jeans. Só que agora vem a dúvida: como cuidar destas peças?!

candace jeans bikini

Candice Diva Swanepoel de biquíni jeans…e você achando que não era bonito… (Foto: Pinterest)

Já fiz um post em um verão não tão distante sobre como fazer seus biquínis durarem mais, porém essas peças elaboradas com tecidos não convencionais exigem ainda mais cuidados caso você queria mantê-los até o final do verão, que promete ainda muitos finais de semana de calor. Então vamos lá:

– Chegou da praia? Coloque o biquíni de molho em uma bacia com água em temperatura ambiente por mais ou menos 10 minutos. Depois coloque para secar à sombra, sem pendurar. Em seguida, chacoalhe para tirar o excesso de areia. Nada de esfregar!

– Lave as partes do biquíni sempre a mão, com sabão neutro. Agora não deixe as peças de molho, ok?

– Evite torcer as peças. Dê só umas amassadinhas nelas, para não estragar o material.

– Deixe seu biquíni secando a sombra, preso por dois pregadores e sem esticar. Pode parecer avó dando pito sobre cuidado com as roupas, mas você vai ver como valerá a pena!

Gostaram das dicas? Então bora começar o ano novo com tudo!

Conheça a história do biquíni + solução do mistério

Gente, estamos no início da primavera mas as mulheres já começam a se preparar para o verão, que logo logo bate a porta exigindo corpo em dia para desfilar na praia. Para aproveitar que o sol voltou a brilhar em São Paulo e ir entrando no clima de verão, que tal um pouco de história da moda?

A história do biquíni não tem um começo feliz a beira mar. Muito pelo contrário; em julho de 1946, militares americanos retiraram 10 mil moradores do Atol de Bikini, nas Ilhas Marshall, pois fariam ali testes com bombas nucleares. Alguns deles foram para ilhas no sul do Pacífico, onde acabram sofrendo os efeitos colaterais da radiação. Para que os médicos americanos pudessem examinar as pessoas, que estavam completamente nuas já que a radiação havia destruído suas roupas, os militares usaram folhas de exemplares velhos do jornal The New York Times para cobrir pelo menos as partes íntimas dos doentes. Sim, foi daí que um estilista francês teve a ideia do biquíni.

Claro que isso foi um escândalo para a socieade da época, que só começou a se interessar pelo pequenino traje de banho quando ele conquistou as telas de cinema. Na década de 50, Marylin Monroe, Brigitte Bardot e principalmente Úrsula Andress, a primeira bond girl, foram essenciais para a aceitação do biquíni, que, por aqui, ficavam cada vez menores…

Nos anos 70 foi criada a tanga, aqui no Rio de Janeiro. Na década de 80 vieram o lacinho, o cortininha (que até hoje é preferência nacional) e o enroladinho, que tinha as laterais da calcinha retorcidas. Para encerrar a década, o minúsculo fio-dental deu o ar de sua graça nas praias brasileiras.

Dos anos 90 para cá a evolução do biquíni parou de acontecer no tamanho e foi para os tecidos, que ficaram cada vez mais tecnológicos. Tecidos cortados a laser e que ofereciam proteção contra raios ultra-violeta começam a entrar em cena. Grifes brazucas como Cia Marítima, Lenny, Movimento, Rosa Chá e Salinas ganham posição de destaque no mundo inteiro. Nisso somos referência mesmo!

Bacana não é mesmo? Então mergulhe já nas tendências de verão! Olha só o que já passou por aqui:

 

E a resposta do “mistério” do dia. Hoje resolvi entrar nesse clima praiano e tal…e estou usando uma canga como echarpe! Quem adivinhou?

 

Faça seus biquínis durarem até o próximo verão!

Depois de um agitado plantão de Carnaval, passei um merecido fim de semana na praia. Mas, mesmo longe do trabalho, uma coisa me deixou pensando: daqui a pouco o verão acaba, e as roupas destinadas ao calor irão para o fundo do armário. Sendo assim, como fazer com que os biquínis permaneçam em bom estado até esquentar de novo?

Para conservá-lo, o biquíni deve ser lavado à mão com sabão neutro e em água fria, para não perder a elasticidade, e depois colocado para secar em local arejado, à sombra. Não é necessário passá-lo. “A melhor forma de guardar seus biquínis é em uma gaveta forrada de papel de seda, fora de saquinhos plásticos. Isso garante uma maior conservação”, ensina Gabriela Artiles Prado, estilista de moda praia. Biquíni no saquinho só se ele estiver molhado na hora de voltar da praia, ok?

Também não é aconselhável passar o dia inteiro de biquíni. Sabe aquela história de passar o dia na praia, colocar o biquíni no varal e querer usar de novo no outro dia? Melhor levar mais de um conjunto e também variar o biquíni com outras peças quando estiver em casa, para que seu corpo possa respirar.

Tente evitar ao máximo o contato das peças com cosméticos, principalmente bronzeadores oleosos, que podem manchar.

Para Andreia Miròn, professora de moda da Faculdade Santa Marcelina, pode valer a pena comprar pelo menos um biquíni novo a cada verão, substituindo o mais velho. “O ideal é ter de dois a três biquínis, combinando peças clássicas (branco, preto ou outro tom neutro) com cores tendência da estação”, diz a professora. Quanto aos cuidados na hora de comprar, a estilista Gabriela Prado recomenda prestar atenção ao nível de elastano, que garante que a peça dure bastante.

Gostou? Detestou? Ficou com vontade de ir para a praia? Vista seu biquíni e se jogue!