Fashion Files: 120 anos sem Charles Worth OU O que é alta costura?

Você pode nunca ter ouvido falar dele, mas Charles Frederick Worth foi o grande nome da alta costura no século XIX. Na verdade, ele praticamente inventou o que hoje se chama de alta costura, além de ser o primeiro a realizar desfiles com modelos. Hoje, 10 de março, se completam 120 anos desde a sua morte, em 1895.

catwalk_yourself.charlesfrederickworth

Dá para imaginar um desfile sem modelos? Estamos em plena temporada internacional de desfiles (Nova York, Londres, Milão e, agora, Paris). Vemos Karl Lagerfeld (que eu <3) inovando na passarela da Chanel a cada temporada (ano passado ele fez um supermercado, lembra? Também fez um “protesto de modelos”. Esse ano foi um restaurante fino). Só que nada disso existiria sem a criatividade de Worth.

chanel

Look fresquinho, recém-saído do forno do restaurante do Kaiser para a Chanel, que desfilou hoje na PFW

O chamado “pai da alta costura” começou sua carreira na moda como aprendiz em uma loja de tecidos. Ele, que era inglês, se mudou para Paris em 1846. Doze anos depois passou a trabalhar como costureiro e despertou a atenção da nobreza da época. Tornou-se o costureiro preferido da imperatriz Eugênia, a mulher de Napoleão III #chique

Quando o império acabou, dá para imaginar que os negócios de Worth minguaram. Ele chegou a fechar a ‘Casa Worth’ por um ano, mas reabriu com uma nova cartela de clientes: as celebridades da época, como as atrizes Sarah Bernhardt e Eleonora Duse.

O estilo de Worth era elegante sem esforço: a cada nova criação, ele ia abolindo os brocados, babados e outros detalhes que considerava dispensáveis. A mulher que ele vestia deveria ser naturalmente elegante, com peças que caíssem perfeitamente em seu corpo. Ele preferia investir em bons tecidos – provavelmente uma herança de seus tempos como aprendiz – do que em adereços.

31.37a-b_threequarter_front 0002 83d45ac9fed132850c34b04b2d7e0b5b

Vestidos elaborados por Worth: foco nos bons tecidos e no caimento

Mas afinal, você sabe o que é preciso para uma marca ser definida como de alta costura? Worth ajudou a estabelecer esses parâmetros:

– Produzir moda de alta qualidade e exclusiva, sob encomenda para clientes particulares;

– Roupas feitas de maneira artesanal, a mão mesmo!;

– Ter um ateliê em Paris com pelo menos 20 funcionários fixos especializados no que fazem (bordadeiras, por exemplo);

– Apresentar coleções inéditas duas vezes ao ano, com pelo menos 35 looks no total, sendo dia e noite.

E então, qual é a marca de alta costura que te faz suspirar? Você já conhecia a história de Worth? Comente 😉

E não se esqueça que hoje a noite tem post novo da série Para a Beleza Durar Mais!

4 redes sociais para fashionistas hiperconectados

Já citei meu namorado aqui outras vezes. Um santo, coitado. Já aguentou tanta coisa (clica aqui depois e dá uma olhada) e continua aguentando. Ou pelo menos tentando aguentar. E uma dessas coisas é o vício desta que vos fala por redes sociais. E para mim não bastam as normais, como Facebook, Instagram e WhatsApp. Participo de outras redes bem mais específicas, de moda e beleza, que valem a pena serem conhecidas.

Young girl text messaging with mobile phone on sofa

1.Dujour

É uma rede de compartilhamento de looks! Vale para ver como a galera se veste ao redor do mundo, pegar inspirações para futuras composições e, por que não?, inspirar também! O aplicativo está disponível para iPhone e Android.

2. Fashion.me

Uma das mais divertidas! Aqui você pode compor seus looks dos sonhos, com peças de marcas de verdade.

3. Osmoz

Essa é para aquelas que, como eu, são apaixonadas por perfumes. Aqui você cadastra os perfumes que usa ou já usou na vida, conhece perfumes de fragrâncias semelhantes e confere o que os amigos estão usando.

4. Pinterest

Não é exatamente uma rede social de moda e beleza, mas serve para encontrar inspirações de looks e maquiagens. Também tem muitos murais com DIY (do it yourself), ou seja, criações passo a passo para você aprender a customizar suas roupas, fazer um make diferente, uma nail art, decorar seu quarto e o que mais você puder imaginar!

***

Falando em redes sociais, vocês provavelmente ouviram falar do desfile da Chanel na semana de moda de Paris nesta semana. Sabe aquele que foi em um cenário de supermercado, com Cara Delevigne na passarela e Rihanna na plateia? Se você não viu, dá uma olhada nestas fotos e veja que incrível o mercadinho do kaiser Karl Lagerfeld.

chanel 03

chanel 02

chanel 01

Só que a questão não é essa. Ao final do desfile, cada convidado poderia pegar uma “fruta, legume ou verdura” e levar como brinde. Só que, claro, a galera pirou no supermercado cheio de produtos Chanel e queria fazer a feira, literalmente. Olha só esses vídeos que caíram na internet:

http://instagram.com/p/lHe2fwMZy6

http://instagram.com/p/lIFBduqctP

Fiquei passada! O que a galera não esperava era ser revistada pelos seguranças na saída do local do desfile. As “comprinhas extras” voltaram todas para suas gôndolas. Ah, vai destruir cenário lá na sua casa, minha gente!

Fundo do mar: mergulhe já nas tendências de verão!

Ah, o Brasil…só a gente mesmo para ter inverno com sol brilhando e calor. O bom desse solzão fora de época é que nós podemos desde já embarcar nas tendências de verão apresentadas nos últimos Fashion Rio e São Paulo Fashion Week (SPFW). E, para uma delas, temos de ir fundo: no fundo do mar.

A tendência marinha já tinha sido vista no desfile da Chanel na Semana de Moda de Paris de outubro passado, ou seja, há quase um ano atrás! Por aqui, foi a aposta das grifes Ellus, Alessa e Samuel Cirnansck.

Pronta para se jogar de cabeça? Então escolha a sua inspiração e divirta-se 🙂

Nadando no raso – inspire-se em Ellus

Aposte em tons de azul e verde mais marinhos em camisas, calças e acessórios, para começar a entrar no clima de fundo do mar. Está acima do peso? Sem problemas: os tons mais escuros ajudam a disfarçar gordurinhas. Uma boa também é usar um belo colar de pedras ou, por que não?, conchinhas, que vão atrair a atenção para a parte de cima do corpo, não para a barriga.

Pegando uma onda – inspire-se em Samuel Cirnansck

O mar não é apenas azul, suas ondas são brancas, símbolos de paz e leveza. Que tal apostar em tecidos mais fluidos, como os dos belos vestidos de Cirnansck? Mas não esqueça: o branco amplia, então se tem alguma parte do corpo que você não quer que pareça maior do que já é (entenda-se quadris), melhor não investir nessa aqui.

Mergulho em alto mar – inspire-se em Alessa

Essa é para quem não tem medo de ousar nas estampas, e estamos falando de grandes estampas, bem coloridas. Para elas vale a mesma regra do branco: não use estampas grandes em regiões do corpo que você não quer aumentar. Tem seios grandes? Eles vão parecer ainda maiores cobertos de grandes estrelas do mar. Ah, não se esqueça de, caso você pretenda combinar sua peça estampada com outra lisa, de fazer com que as cores “conversem”, sejam de tons semelhantes.

Gostou? Não muito? Já mergulhou? Comente!