Crônica Fashion: a desconhecida moda brasileira

Como eu já disse por aqui um milhão de vezes, eu leio muitas revistas por mês. Em sua maioria, femininas. Em específico, as de moda. E, de uns anos para cá, tudo o que se fala é sobre a ascensão da moda brasileira, do destaque que os estilistas brasileiros estão tendo fora do país, do interesse das grandes redes de fast fashion em fazer parcerias com estilistas brasileiros em coleções-cápsula…enfim, a moda brasileira é um sucesso! Ou não…

Infelizmente as informações de moda estão disponíveis para um grupo muito seleto de pessoas. Essa patota, como diria minha avó, é quem lê blogs de moda, revistas, vê desfiles, mas a grande maioria da população brasileira não faz ideia da “moda fervilhante” que temos. A grande maioria não vai as lojas de fast fashion por causa da coleção de um estilista aí: vai porque é lá que compra suas roupas, ué!

Daqui a pouco chega mais um São Paulo Fashion Week e um Fashion Rio. As fashionista pira, mas os brasileiros não param por isso. Nem por um minuto. Tem gente que vive sem saber da semana de moda, e tem razões para isso: já foram 34 SPFW, um mais exclusivista que o outro. Eventos ultra fechados, sendo que a moda é uma expressão cultural: se até os melhores museus tem dias que abrem de graça, sem olhar a quem, porque as semanas de moda são feitas sempre, e todos os dias, para poucos?

Ano passado fui a uma palestra bem interessante. Um dos convidados da noite era diretor de uma agência de publicidade que é responsável pela propaganda de uma famosa marca de sabonetes. A marca queria lançar uma linha de produtos assinada por um estilista brasileiro e pediu para que a agência fizesse uma pesquisa com seus consumidores para escolher o tal estilista. Quer saber o resultado? Os estilistas brasileiros mais conhecidos dos consumidores são Clodovil e Ronaldo Ésper! Herchcovitch, terceiro colocado, aparece com míseros 3%.

 

Vai Clô, pinta nosso céu de cor de rosa pois você ainda é o estilista mais famoso do Brasil!

Até quando a moda brasileira pretende se esconder dos brasileiros e se mostrar para o mundo?

Fashion Five: cinco estilistas, três peças e um sonho

E ontem, domingo (4), fui conferir a estreia do Fashion Five, a nova coleção da Riachuelo. Fiquei bem curiosa para ver as peças que grandes estilistas brasileiros iriam fazer para uma rede de fast fashion, assim como fui conferir Stella McCartney na C&A (não lembra? Clica aqui que eu te lembro) ou Cris Barros, Pedro Lourenço e Thais Gusmão – essa eu comprei… – também na Riachuelo.

Fui à loja da Riachuelo aqui no Shopping Internacional Guarulhos, e encontrei bastante variedade de peças. Além das belíssimas roupas de festa, André Lima, Huis Clos, Martha Medeiros, Maria Garcia e Juliana Jabour também desenvolveram acessórios para a rede de lojas. Uma forma mais barata de adquirir uma peça grifada para chamar de sua.

E ênfase no mais barata. Claro que, se formos pensar, são vestidos de festa assinados por estilistas brilhantes. Logo, cobrarem quase R$ 200 por uma peça é até compreensível…

Bom, eu levei três peças comigo para o provador. E agora eu levo você, caro leitor, comigo.

[Só para ressaltar, é importante: tenho manequim 38]

Peça #1 – saia preta André Lima

Sinceramente? No cabide parecia mais bonita. Se você quer um André Lima para chamar de seu, aposte nos longos, que realmente são belíssismos. O corte da saia faz com que ela não vista bem os manequins pequenos, imagine os grandes…

Peça #2 – vestido off-white drapeado Maria Garcia

Uma surpresa. Não achei que ficaria tão bonito no corpo, por ser todo drapeado. É chique para casamentos diurnos e – por que não? – um Reveillon caprichado?

Peça #3 – vestido de tafetá com renda Martha Medeiros

Fiquei apaixonada por este vestido. De verdade. Cheguei a voltar na loja e olhá-lo novamente para ter certeza de que não o compraria. Mas voltei para casa pensando nele. Combinação elegantérrima de Martha Medeiros, um capricho.

Dúvidas? Sugestões? Comentários sobre o Fashion Five? Comentem!

* Caso eu não tenha deixado bem claro, esse vestido Martha Medeiros é uma excelente opção de presente de Natal, ok? rsrs

Stella McCartney na C&A: entenda o que é fast fashion

Depois de dias, até meses de espera, chega a coleção de Stella McCarney (sim, ela é filha do Paul) para a C&A. O exemplo mais recente de fast fashion em terras brasileiras. Opa, fast fashion? O quê é isso?

Vamos primeiro ao pé da letra. Pressionando a tecla SAP, fast fashion vira moda rápida. E é bem esse o conceito: trazer as novidades apresentadas nas passarelas cada vez mais rápido para as lojas, e para cada vez mais consumidores. As roupas da última coleção do estilista X podem ter genéricos em lojas mais acessíveis mais rápido do que se imagina, então se ele mesmo puder fazer isso, melhor para ele.

Quem domina o mercado de fast fashion é a rede espanhola Zara.  O lucro da Inditex, companhia que administra a Zara e outras lojas, teve faturamento de 1,7 bilhões de euros no ano passado. A ideia deles, e do fast fashion como um todo, é, com base no que é visto de tendências, trocar as coleções semanalmente (em alguns casos de loucura extrema, diariamente!). O negócio dá certo…

E é por isso que, numa maneira de se auto-promover e evitar o plágio descarado, alguns estilistas tem lançado pequenas coleções em lojas de departamento. O primeiro que fez isso foi Karl Lagerfeld, o homem por trás da Chanel, que lançou uma coleção para a H&M. As peças esgotaram em dois dias. Sem brincadeira. No Brasil, as lojas de fast fashion são as nossas queridas e conhecidas C&A, Renner, Riachuelo e companhia.

E é em busca de um novo mercado que Stella McCartney e todo seu minimalismo desembarcaram por aqui. Os 27 itens, adaptações ao público brasileiro de clássicos da estilista, foram feitos em tecidos 100% naturais e pendurados em cabides feitos de material reciclado. Sim, a mulher alia em si mesma duas tendências: fast fashion e sustentabilidade.

Para quem gosta de roupas discretas, vale dar uma conferida. No site oficial da coleção (http://stellamccartneycea.com.br – o site toca música, tá? Só pra avisar…) você pode ver todas as peças, e inclusive combiná-las.

Ó lá eu vendo a coleção da Stella McCartney na C&A - Foto: Rafael Balago

Gostou? Detestou? Estava com saudade? Comente 🙂

 

P.S.: a não-notícia de ontem era que Stella McCartney estava hospedada na casa de Angélica e Luciano Huck, em Angra dos Reis. Eles já hospedaram o casal Kutcher também. Assim, abre uma pousada de uma vez! Expande o negócio, ganha dinheiro…

P.S.2: lembra que a Christina Aguillera estava no SPFW (não? Clica aqui que eu te lembro)? Então, semana que vem sai a coleção dela, na C&A também. Dia 31.

P.S.3: não, eu não recebo releases da C&A. Eles estão bombando mesmo. Mas aguardem: em abril tem Cris Barros na Riachuelo. E a loja já vem negociando com Thaís Gusmão e Pedro Lourenço. Luxo democrático!