Crônica fashion: biblioteca, hemeroteca, ‘revistoteca’

Domingo, além de ser dia de Crônica Fashion, é dia de…de…faxina, claro! É aquele único dia em que a gente para em casa, olha ao redor e percebe que está dormindo no olho do furacão, tamanha a bagunça que se instalou no seu quarto. Ou seja, é hora de colocar aquela roupa confortável, prender o cabelo em um rabo de cavalo alto e colocar as mãos a obra!

E se tem uma coisa que eu não consigo ver desorganizada por muito tempo é a minha biblioteca. Ou melhor, meu projeto de biblioteca, que consiste em algumas prateleiras dentro do meu quarto mesmo. Tenho uma história com cada livro guardado aqui e, sério, não consigo me desapegar. Quando estava na primeira série do ensino fundamental, cada aluno ganhou um livro. O meu se chamava A menina da garrafa verde. Ou melhor, ainda se chama pois ele continua em exibição na minha prateleira. E em perfeito estado, viu?

foto (7)

 

‘A menina da garrafa verde’, um dos meus primeiros livros, com uma parte da biblioteca e a minha coleção de Elle’s, abaixo

Só que como se não bastasse eu ser a louca dos livros (principalmente dos livros de moda), também sou a louca das revistas. Assino cinco revistas, mas compro MUITAS outras ao longo do mês. E também tenho sérios problemas para me desapegar delas também. Principalmente das gringas. Ah, fala sério né: pagar R$ 30 em uma revista para jogar fora? Ou guardar de qualquer jeito? Ou recortar?!

Não que eu nunca tenha recortado uma revista. Aliás, já recortei várias, pois considerando a quantidade de revistas que eu consumo mensalmente, já teria ocupado minha casa inteira com elas há pelo menos dois anos atrás. Para evitar que isso aconteça, mantenho uma pequena hemeroteca, uma coleção de notícias de jornais e revistas recortadas guardadas em pastas. Sabe quando a gente é adolescente e “faz pasta” do artista que a gente gosta? Pois é, é isso, só que como se eu fosse muito fã da moda.

foto (9)

 

Minhas pastas de notícias exibindo algumas musas: Audrey Hepburn, Kate Middleton e Regina Guerreiro

Agora, com tudo organizado e no lugar, posso descansar com a certeza de que, quando me der um branco de ideias para escrever aqui ou no trabalho, posso recorrer aos meus arquivos! E isso me faz mais feliz do que um sapato novo, com toda a certeza!

foto (8)

Não reparem nas tomadas e nos fios bizarros; o importante é a coleção de livros de moda – e mais Elle’s! – arrumadinha 🙂

 

Kate Middleton, 30 anos de estilo ao usar chapéus

Oi pessoas! Hoje, dia 9 de janeiro, Kate Middleton completa 30 anos. E, desde que ela e o príncipe William anunciaram o noivado, seguido do casamento que praticamente parou o mundo, a agora duquesa de Cambridge se tornou ícone de estilo, e é por isso que merece um post só para ela.

Além da meia-calça, item frequente em seu figurino após o casamento e que eu já falei aqui (se você não se lembra ou perdeu, clique aqui), um item pelo qual Kate Middleton é reconhecida são seus chapéus. Ela os possui de diferentes estilos, tamanhos e cores.

E já que hoje é aniversário dela, nada mais justo do que o Além das Tendências dar todas as dicas para você também usar chapéus! Afinal de contas, “o chapéu é uma opção que pode ser charmosa ou desastrosa para complementar um traje”, já dizia o consultor Gustavo Sarti. No próprio casamento de Kate e William houveram exibições de chapéus me-do-nhos…

Para encontrar um chapéu ideal, é preciso identificar o formato do seu rosto. Rostos redondos pedem chapéus de copas altas e abas médias. Já os mais ovais ficam melhor com os de copas baixas e abas largas. Os rostos quadrados ou triangulares ficam bem com chapéus de copas redondas, que suavizam o formato do rosto.

As mulheres de pele clara ficam melhor com chapéus nas seguintes cores: branco, bege, cinza, marrom, rosado, preto, roxo e azul. Já as de pele morena e negra combinam com os chapéus bege, marrom, amarelo, vermelho e verde.

Valem ainda outras dicas:
– Se você é baixinha, os de aba média ou curta são ideais.
Gordinhas podem usar os modelos com copa alta. E não se esqueça: a partir do momento que você coloca um chapéu, ele se torna o ponto focal do seu look, desviando a atenção de áreas que você deseja esconder.
– Não use a mesma cor ou textura no chapéu e na roupa: os itens devem conversar, mas não ser iguais, combinado?

Encerrado o assunto chapéus, termino este post com a foto do vestido de noiva usado por Kate Middleton, da grife Alexander McQueen. Deus, permita que eu case com um pelo menos parecido com esse…rs

Voltei de meia-calça cor da pele

Depois de um mês longe do querido blog, estou de volta (todos vibra!). Acho que meu computador nunca demorou tanto para voltar da assistência técnica – mas estou feliz que voltou! Nesse tempo em que fiquei longe, aprendi muitas coisas, li muitas coisas e estou doida para contar para vocês todas as novidades.

Uma delas é o retorno da meia-calça nude. Taxada como brega por vários anos, a meia está de volta, e a principal responsável por isso é a duquesa de Cambridge. Kate Middleton – que já se tornou ícone fashion faz tempo – passou a usá-las para cumprir protocolo do palácio de Buckingham: no palácio da rainha, meia-calça e sapatos fechados são obrigatórios. Bem longe da Inglaterra, as meias-calças invadiram o mundo da moda, pelo menos em ocasiões mais formais.

Princesa Kate desfila com sua meia-calça

As meias-calças surgiram na década de 1920, quando as mulheres começaram a exibir as pernas (entenda-se, os tornozelos). Durante a Segunda Guerra Mundial, o náilon disponível era usado para fazer paraquedas, levando algumas mulheres ao cúmulo de desenharem uma listra nas pernas imitando as meias.

A estilista Diane Von Furstenberg afirmou não sair de casa sem elas, pois as meias-calças “proporcionam cobertura suave e acabamento refinado, o que é fundamental quando você já passou de certa idade”. A Vogue também definiu bem: as meias são como uma base para as pernas, disfarçando imperfeições e deixando a pele com aparência aveludada. Beyoncé já declarou em entrevistas que chegou a usar até três pares de meias, um sobre o outro, até obter o efeito desejado para um show. Uau…

Aí você me fala: tá Carol, e como eu vou usar meias-calças? Siga estas dicas que não tem erro:

1. Agora o tempo já começou a esquentar, mas se um dia amanhecer um pouco mais frio de novo, aposte em uma meia-calça por baixo da calça jeans para ficar mais quentinha.

2. Escolha uma meia do tom exato da sua pele. Não ache que vai parecer bronzeada com as pernas de uma cor e os braços de outra…

3. Meias-calças e sapatos abertos? De jeito nenhum!!!

4. Lave suas meias à mão

Gostaram? Detestaram? Estavam com saudade? Comentem!