Biquínis: cariocas x paulistas

Lá vem mais um post no calor do verão! Em uma conversa com a professora de moda Andreia Miron, que resultou em uma matéria sobre biquínis que você confere no post anterior ou clicando aqui, falamos sobre as diferenças entre os biquínis usados pelas cariocas e pelas paulistas. E mais: sobre o fim do mito das listras que engordam.

Sim, as listras não engordam! Verticais, horizontais…nenhuma delas! E isso foi comprovado em estudo. Por isso, gordinhas que querem usar maiôs ou biquínis com listras podem fazer isso sem medo de serem felizes 🙂

Voltando às cariocas e paulistas… Já está claro que há muito tempo a moda representa a cultura de uma época e/ou região. E no Brasil isso pode ser visto em Estados vizinhos! Você sabia que as paulistas usam menos biquínis cortininha que as cariocas? “Isso acontece porque as cariocas se preocupam muito mais com o corpo do que as paulistas. Não que nós não sejamos vaidosas, mas não temos uma praia a nossa disposição o tempo todo”, comenta Andreia.

Outra tendência supercarioca são as cores: as meninas do Rio curtem biquínis coloridos, bem estampados, neon… Enquanto isso, as paulistas que descem a serra usam na praia cores muito parecidas com as que usam na Avenida Paulista: os biquínis aparecem em tons de preto e cinza, marrom, azul escuro. Pode reparar!

Carioca x Paulista: a primeira investe em cores; a segunda vai de nude

Exemplo pessoal: tenho dois biquínis – o que é algo bem paulista; as cariocas costumam ter muitas opções para ir à praia. Os dois são marrons…se bem que um tem um pouco de laranja…mas não deixa de ser marrom.

Para encerrar, uma tendência brasileira: o tomara que caia. “As brasileiras estão evitando ficar com a famosa ‘marquinha’ de biquíni. Querem parecer que tem a cor bronzeada natural”, explica a professora Andreia. Para não errar: tomara que caia não fica bem em mulheres com muito seio e, em algumas situações, pode deixar os seios com aparência de caídos. Pense bem antes de comprar o seu.

Ah, quando eu falei aqui na redação da RedeTV! essa história do “fim das marquinhas”, os homens ficaram bastante decepcionados… #ficaadica

Combine diferentes estampas + trauma de avó

Confesso que não sou de usar muitas estampas, muito menos misturá-las. Só que tudo isso pode ter acontecido por um trauma familiar, e eu tenho superado. E, se o leitor (a) me permite, vou contar o porquê de tanto drama em relação a estampas, que, aliás, também se estende para cores chocantes, color block e paetês: minha avó.

Para quem não frequenta minha casa, ou não me ouviu falar sobre a minha avó, deixe-me resumir: ela é responsável pela maioria dos momentos bizarros/ridículos/irritantes da minha vida. E o guarda-roupa dela é…bem…não sei com que palavras descrever aquela coleção de roupas. O pior é que de uma coisa eu sei: elas poderiam ser melhor usadas, melhor combinadas. Mas a senhorinha insiste em sair de casa com calça colada, ou estampada com flores verdes, coordenada com blusa de uma cor completamente diferente, com brilhos. Esse é o modelito básico, para consultas médicas, banco, etc. Para eventos ela consegue ir ainda mais caprichada; e sempre ser a pior vestida (“mal vestida” já foi superado). E nem vou falar de maquiagem e sapatos…

Claro que essa não é a minha avó…não achei nenhuma imagem que consiga mostrar o “nível fashion” daquela senhora

Isto posto, credito a minha avó o meu lado minimalista, quase Calvin Klein, que eu amadureci ao longo dos anos. Mas isso tem sido cuidadosamente rompido, e da maneira correta, não da forma carnavalesca da minha vó. Pois sim, podemos combinar duas estampas de padronagens diferentes. É só saber como fazer isso.

Para isso, dicas básicas para combinar estampas diferentes:

Estampas gráficas + figurativas: ou seja, listras com flores, bolinhas com estampa animal, xadrez com tropical e por aí vai

Xadrez + desenhos: já que estamos falando de xadrez, você pode combiná-lo com padronagens como caveirinhas, cachorrinhos, nuvens, florzinhas, animal print…desenhos em geral

Grande + pequeno: escolha um padrão (exemplo, lacinhos), combine cores e varie tamanhos (exemplo, blusa com laços grandes com lenço com estampa de lacinhos pequenos, em tons de cor semelhantes).

Gostou? Detestou? Vai investir? Quer uma foto de look da minha avó? Melhor não…

Moda à Milanesa: o plissado da Prada (ou nada)

A Semana de Moda de Milão terminou nesta semana (e a de Paris começou hoje! Já teve Pedro Lourenço!). E o desfile mais esperado da semana milanesa, ou talvez de toda a temporada de moda, é o da Prada. Mas por que a Prada? O que esta marca tanto significa? É o que eu vou contar para você hoje.

Anna Wintour, a editora-chefe da Vogue americana – aquela que inspirou o livro “O Diabo Veste Prada”, sabe? – disse certa vez que “Prada é o único motivo para alguém assistir a temporada de moda de Milão”. Claro que não chega a tanto, afinal o evento italiano reúne marcas como Dolce & Gabanna, Salvatore Ferragamo, Armani, Pucci e muitas outras. Mas a Prada é, sim, um caso a parte. Simplesmente porque tudo o que a estilista Miuccia Prada coloca na passarela vira moda, fato. Quer ver só?

Em sua coleção de verão 2011, Miuccia Prada trouxe roupas listradas, de diferentes cores e larguras. Pode reparar: no ano passado, só se viam roupas listradas! Juro, até nos camelôs do Bom Retiro, em São Paulo, você podia comprar uma blusinha listrada! Foi febre.

Na mesma coleção a Prada veio com frutas. E, magicamente, começaram a brotar roupas com estampas de frutas em tudo o que era loja. Pode ver: agora, com a chegada da primavera, elas estão de volta às araras das lojas.

E esses são só os dois exemplos mais recentes. Como Midas, tudo o que Miuccia Prada coloca na passarela, vira ouro. E, se ela acertar de novo, o ano que vem marcará o retorno dos plissados com força total. E digo mais: da barriga de fora. Dadas as tendências da Prada, vamos além: como usar plissado?

Que plissado dá volume, já deu para perceber. Sendo assim, opte por peças de tecidos leves. A tendência é coringa para as baixinhas, pois uma saia plissada tem linhas verticais, logo, faz a mulher parecer mais alta. Combinada com salto então, vai parecer que você saiu da passarela da grife italiana!

Gordinhas podem usar plissado, sim! Isso mesmo: é só escolherem saias em que o plissado comece abaixo da linha da cintura, ou um vestido, em que o plissado comece antes da linha da cintura. Só não devem embarcar nesta moda quem tem o quadril realmente muito largo: nesse caso, prefira as blusinhas com plissado nos ombros, para atrair a atenção para cima.

Dica geral: coordene peças plissadas com outras mais sequinhas, ok?

Já a barriga de fora….não preciso nem falar. No trabalho não rola, e no lazer só se você estiver muito, MUITO, em forma. Não tem nada mais ridículo do que pneuzinho prensado entre blusinha e calça/saia. Ninguém merece…

Gostou? Detestou? Amou? Vai comprar uma saia plissada? Compre, e depois me conte como foi usá-la 🙂