Week Look: roupa que combina com livro

Bom dia, minha gente! Bora começar essa quinta-feira de sol?

E hoje tem look amarelo, tão solar e calorento quanto os dias tem sido. Só que tudo fica mais bacana quando se tem a companhia de um bom livro. E não é que o livro acabou combinando com o look? (Juro que não foi proposital).

look book 1

O livro é uma delícia e eu recomendo não só ele como toda a coleção lançada pela Publifolha. Neste volume, são apresentadas as pessoas e tendências que influenciaram a década de 1960 – não só ela como muito do que vemos até hoje. Valentino, Mary Quant, Janis Joplin, Andy Warhol e sua Factory… Clique aqui e saiba mais sobre o livro!

Mas vamos ao look!

T-shirt C&A (me apaixonei por essa estampa de refrigerantes rs)

Saia Miroa (amor eterno por tecidos que não amassam – e secam rápido quando tomamos aquela chuva do fim do dia)

Sapatilha Melissa (é, o plástico não é muito adequado para tomar chuva, a não ser que seja uma bela galocha)

Óculos acervo pessoal (já estão se tornando minha marca registrada!)

E então, gostaram? Que look escolheram para hoje? E qual livro estão lendo? Comentem!

SPFW, 3º dia: desfile de Mario Queiroz e a bendita fila da Melissa

Bom dia, meu povo! Nossa, se teve um dia que demorou para passar nesse São Paulo Fashion Week, esse dia foi ontem. A chuva que caiu em São Paulo deve ter deixado os famosos com preguiça de sair de casa. Acho que se eu fosse famosa eu também teria preguiça de sair com o temporal que teve ontem….rs

O primeiro desfile do dia foi fora da Bienal novamente. Reinaldo Lourenço apresentou sua coleção na FAAP. Olha, por lá até que apareceram uns famosos como Bia Antony, a esposa de Ronaldo Fenômeno, e a “mulher rica” Brunete Fracaroli. Mas, nesse momento, eu ainda estava no conforto do meu lar.

O clima era de mistério antes da entrada das modelos no desfile de Reinaldo Lourenço, que aconteceu fora da Bienal, na FAAP. Inspirado na Catedral de Notre Dame, em Paris, o estilista trabalhou com peças ao estilo gótico-chic, com muito preto, capuzes e bordados em cristais, também negros.
Reinaldo também usou pele falsa e couro em diversas peças. As joias, assinadas pelo designer Jack Vartanian, chamaram a atenção. Outro acessório que merece destaque são as bolsas de mão, feitas no mesmo formato de incensários.

Cheguei no Ibirapuera ainda sem chuva. Notei que haviam alguns bichinhos colocados na grama bem em frente à entrada para o SPFW, mas não entendi muito bem o que estava acontecendo. Depois, eu e Antenor descobrimos que se tratava de um manifesto do Move Institute contra o uso de peles de animais na confecção de roupas, e também o uso dos bichinhos em testes da indústria de cosméticos. Bacana parar para pensar sobre o lado menos glamuroso da moda, não?

Primeiro desfile na Bienal: Ellus. Foi o desfile que teve mais movimento, mas famosos que era bom…nada. Em compensação aconteceram duas situações bem bizarras. Primeiro, um rapaz pediu para tirar uma foto comigo fingindo que eu o estava entrevistando. Aff… Neguei, ele não entendeu bem o porquê (???) e foi embora. Em seguida, um outro rapaz se aproxima do Antenor e pergunta se ele se lembra dele. Oi? Era um maquiador que já havia trabalhado na RedeTV!, mas até reconhecer…

Ao som de uma orquestra, que tocou ao vivo, a Ellus apresentou sua coleção de inverno neste sábado (21). Na primeira parte da apresentação, o couro reinou absoluto em diversas peças.Já na segunda parte da apresentação, estampas de mapas e correntes, remetendo ao mundo viking.

A peça principal do desfile foi, novamente, a jaqueta perfecto. O jeans da Ellus será sarjado e levemente brilhante. A cartela de cores variou entre tons terrosos e o bronze.

Próximo desfile, Mario Queiroz. Como a apresentação seria na sala que fica ao lado da sala de imprensa, ficamos tranquilos, esperando dar o horário. Dez minutos para abrir a sala de desfiles e nada de aparecer um famoso. Olhei para o balcão de concierge e pensei: “será que eu conseguiria um convite?”. Não custava nada tentar. E deu certo! Enfim assistiria um desfile de um lugar que não fosse o meu sofá 🙂

Mario Queiroz, que desde sua última coleção também tem investido na moda feminina, aposta nas sobreposições para o próximo inverno. Saias plissadas sobre jeans, casacos compridos e azul escuro foram as chaves da coleção apresentada neste sábado (21) no prédio da Bienal.

As cores escuras dominaram a cartela, com algumas aparições de peças laranja. Destaque para os chapéus coco com aplicações. Ao final, em duas fileiras, homens e mulheres mostraram que os guarda-roupas de cada sexo estão cada vez mais parecidos.

A lá eu esperando o desfile começar…que felicidade!

Depois descobrimos que estiveram no desfile os atores Leopoldo Pacheco e Leonardo Miggiorin. Nada que rendesse uma entrevista relevante para o portal. O próximo desfile seria Huis Clos, e pelo menos neste eu esperava que aparecesse alguém famoso. Nada. Ficamos lá, sem fazer nada, mais uma vez.

Shorts e hot pants que lembravam baby dolls foram só o começo da coleção de inverno da Huis Clos, que teve todo um ar retrô e minimalista. A grife, que apresentou sua coleção neste sábado, trabalhou com veludo e malha de lã, criando peças leves.
A renda também apareceu em várias peças; em algumas, surgiu em fendas, fazendo as vezes de uma combinação. Destaque também para os ombros, volumosos graças a maxipregas.

Quando a sala de desfiles da Huis Clos se fechou, decidi que o dia estava parado demais e que se eu quisesse encarar a fila gigantesca no quiosque da Melissa para tentar ganhar um par essa seria a hora. O outro desfile só começaria mais de uma hora depois, dava tempo. É, deu tempo, mas não ganhei Melissa nenhuma. Só um chaveirinho após uma hora de fila…

O desfile seguinte seria o de Samuel Cirnansck. Teve até algum movimento, mas, novamente, nenhuma celebridade. Novamente tentei conseguir um convite, só que desta vez sem sucesso. Pelo menos por enquanto…

Samuel Cirnansck investiu em looks volumosos e femininos para o próximo inverno. Vestidos longos foram criados com diversos tipos de seda desfiada.
As joias vieram em forma de cristais tchecos bordados em tecidos transparentes, e nas rendas douradas da coleção. A cartela de cores variou entre off white, dourado e preto.

Sala de desfiles fechada, fim do dia certo? Ainda não! De repente, surgem algumas pessoas carregando sacolas cheias de…bloquinhos? Revistas? Não, convites para Cavalera hoje! Pedi, consegui e daqui a pouco sigo rumo à Estação da Luz, onde a marca apresentará sua coleção de inverno. Adoro!