Sobre planejar viagens

Pode ser porque eu moro perto do aeroporto. Pode ser também porque eu sempre gostei de aprender idiomas. E pode ser apenas amor puro. O que eu sei é que eu amo viajar 😀

IMG_4752

E tem mais: gosto tanto de planejar a viagem quanto da viagem em si. Pesquisar sobre os lugares para onde estou indo – ou, se estou indo para lugares que já conheço, procurar atrações ou cantinhos da cidade que eu ainda não me aventurei. Para vocês, queridos leitores, terem uma ideia: estarei de férias (uhu!) em maio. Já estou com o meu nariz enfiado em revistas e sites de turismo, tentando decidir qual será o meu próximo destino. Coloquei para mim uma meta de até 31 de janeiro tomar a decisão de para onde irei; fevereiro e março comprar passagens e acertar hospedagens. Abril? Economizar cada centavo!

Viajar é uma grande descoberta. Na verdade, uma descoberta de mão dupla: você conhece um lugar e se conhece como viajante. Afinal de contas, você não age da mesma maneira em um hostel e na sua própria casa.

Poderia fazer uma lista imensa de lugares que ainda quero conhecer – na verdade, se pudesse conheceria o mundo inteiro! Só que achei melhor fazer algo mais útil, com dicas bacanas para quem quer planejar uma viagem. Todas testadas e aprovadas.

– Destino: defina exatamente o que você gostaria de visitar e depois comece a pesquisar. Existem várias cidades incríveis no Brasil e no mundo e você pode se perder no meio de tanta informação. Tenha um objetivo, como, por exemplo, visitar uma cidade histórica. Ou ir para a praia. Assim você já restringe algumas opções, que podem voltar em uma próxima oportunidade de decolar.

map ny

– Passagens: gosto de usar os aplicativos do Melhores Destinos (para saber das ofertas) e do Decolar.com (para comparar preços). Também usei o Google Flights por indicação do querido namorado e gostei bastante. Dica esperta: se vai viajar pelo Brasil, procure por passagens na sexta-feira à noite. Os preços costumam abaixar ou as companhias liberam ações promocionais.

 

– Hospedagem: sou fã do Booking.com. Descobri na época da faculdade e uso desde então. Só tome cuidado para não cair em algumas ciladas (ouça a voz da experiência aqui): confira a nota de avaliação do lugar, a localização e principalmente os comentários das pessoas que já se hospedaram lá. Valem ouro e te livram de enrascadas. Eu sempre compartilho as minhas dicas (ou destilo o meu veneno) por lá.

vintage travel 1

– Passeios: faça um pré-roteiro dos lugares que você pretende visitar ao longo da sua viagem. Isso ajuda inclusive a ter noção de quantos dias você realmente precisa em cada cidade, caso pretenda visitar mais de uma. No caso de Nova York, me organizei por bairros, pois há muito para se ver: um dia só para Downtown, outro para Lower Manhattan, mais um para SoHo, NoHo e por aí vai. Assim você fica livre para explorar a cidade, mas tem um limite para não fazer tudo correndo.

 

– Passeios 2: se você está visitando uma grande cidade pela primeira vez claro que vai querer fazer os chamados “passeios de turista”. Por exemplo, o Rio de Janeiro: tem que ir no Cristo Redentor, no Pão de Açúcar, na Confeitaria Colombo (#fome), nos museus todos… E isso custa dinheiro. Saiba de antemão o valor dos ingressos e se planeje. Entrar na Confeitaria Colombo do centro é de graça; você só paga o que consumir. Para entrar na do Forte de Copacabana você precisa comprar o ingresso para o Museu Militar.

atlantic

– Dinheiro: vai para outro país? Então vai precisar trocar dinheiro. Acompanhe as mudanças do câmbio diariamente e vá trocando aos poucos, principalmente se você pretende comprar dólares ou euros. Se seu destino é América Latina vale trocar o dinheiro por lá, pois conseguimos cotações melhores do real fora daqui. Só tome cuidado com os “mercados negros”; pegar uma nota de dinheiro falsa que você não conhece é mais fácil do que se imagina.
Ai, que coceira de viajar! Isso porque eu acabei de voltar do Rio de Janeiro. Ainda falta muito para maio?

dog bag

 

Férias Fashion – New York City, baby!

Ai gente, voltei de viagem…e que vontade de ficar mais uns dias em Nova York! Ainda não tinha conhecido a famosa “cidade que nunca dorme” e foi uma experiência e tanto. Conheci a Estátua da Liberdade, o Empire State Building, o Central Park, o memorial ao 11 de setembro, alguns museus…e se pudesse ainda estaria lá, conhecendo cada centímetro dessa cidade, afinal passeio é o que não falta!

Mas, quando o assunto é Estados Unidos, não tem como não pensar nesta palavrinha mágica: compras! Confesso que fui até mais contida do que eu esperava, mas comprei bastante coisa. E agora, revelo algumas dicas para vocês de lojas imperdíveis:

Macy’s – 151 W com 34th Street

Nem que seja para passear e não comprar nada, você precisa ir nesta loja, que é simplesmente a maior loja de departamentos do mundo! São onze andares enormes com tudo o que você pode imaginar. Confesso que não tive tempo de conhecer a loja toda, e até que me perdi lá dentro…rs

Bloomingdale’s – 3ª Avenue com 59th Street

Eu queria conhecer a Bloomies só porque a Rachel (personagem de Jennifer Aniston em Friends) tinha trabalhado lá…rs

Se sua carteira não estiver devidamente abastecida, nem passe por lá: as roupas e acessórios de designers famosos ficam chamando seu nome e dá aquela vontade imensa de sair de lá com pelo menos uma famosa “little brown bag”.

Century 21 – Cortland Street, pertinho do novo World Trade Center

Seguinte: se for para ir até a Century 21, já saia de casa sabendo o que vai comprar ou você corre o sério risco de passar um dia inteiro lá dentro! Roupas e acessórios grifados, mas de coleções antigas e com preços remarcados (leia-se ridículos) podem fazer você perder a cabeça. Tem que ir…

Aéropostale – Times Square!

Depois de me revoltar ao tentar entrar nas lojas da Abercrombie e da Hollister, resolvi que a Aéropostale seria a melhor alternativa para comprar camisetas, além de esta ser uma loja nova-iorquina, ao contrário das outras que são californianas. Os preços são ótimos e você consegue garimpar outras peças fofíssimas por preços bem acessíveis. Depois de passar no caixa, vá ao “The Balcony” e admire a vista da Times Square.

H&M – existem várias lojas espalhadas por NY

Por que essa loja ainda não chegou no Brasil, Deus meu? Roupas lindinhas com preços ainda mais lindinhos. Um verdadeiro sucesso!

Victoria’s Secret – 1328, Broadway Avenue

Tem que ir, né? Mas fica a dica para quem quer gastar pouco: não se empolgue nas lingeries, que acabam sendo o mesmo preço de uma lingerie de qualidade brasileira. Aproveite as promoções, principalmente dos já queridinhos cremes para o corpo (5 por $30!).

Para encerrar, uma última parada obrigatória para quem gosta de moda: o Fashion Institute of Technology, na 7ª Avenida, ou Fashion Avenue. Tire uma tarde e vá ao museu de moda, sempre com novas exposições além do acervo fixo, e passeie pela universidade. Você vai acabar como eu, morrendo de vontade de estudar lá nem que seja por um mês!

E agora que as férias acabaram, bora voltar ao trabalho e aos posts quentinhos, porque esse ano ainda promete…e muito! 🙂

“Resumão” da Semana de Moda de Nova York

A Semana de Moda de Nova York, que termina nesta quinta-feira (15), abriu a temporada internacional Primavera/Verão 2012 em grande estilo. Com desfiles de estilistas consagrados, como Donna Karan e Carlos Miele, a temporada apresentou as tendências para a próxima estação.

O line up oficial da semana começou na última quinta-feira (8) com o desfile da grife BCBG Max Azria. Famosa por seus vestidos, a grife apresentou modelos fluidos, com detalhes plissados e transparências. No dia seguinte (9), foi a vez da grife Tommy Hilfiger, que apostou em cores fortes e o típico mix de azul marinho e branco.

Desfile BCBG Max Aziria (Foto: Reuters)

O sábado (10) foi marcado pelos desfiles de duas importantes marcas da semana de Nova York: Lacoste e Jill Stuart. A primeira, como é de costume, apostou na moda esporte e também na alfaiataria; já a segunda deixou a passarela com ares de romance, investindo em cores leves, laços e transparências.

As homenagens às vítimas do 11 de setembro não fizeram com que os desfiles parassem. O domingo contou com as apresentações de Derek Lam, ex-estilista de Michael Kors, Diane Von Furstenberg, que trouxe formas femininas e teve como carro-chefe as peças em estampa floral, e DKNY, segunda linha da estilista Donna Karan, que trouxe peças que facilmente poderiam sair da passarela direto para o guarda-roupa.

Donna Karan apresentou sua coleção principal no dia seguinte (12). A estilista conseguiu combinar toques tribais e elegância. Além dela, desfilaram Carolina Herrera – Anna Wintour, a redatora-chefe da Vogue americana, estava na primeira fila -, o brasileiro Carlos Miele, que apresentou vestidos leves, coloridos e elegantes, e Betsey Jonhson, que encerrou seu desfile ao estilo burlesco de maneira inusitada: abrindo um espacate na passarela.

Estilista Betsey Johnson abre espacate ao final do desfile (Foto: Reuters)

Na terça-feira (13), foi a vez de Vera Wang. A estilista apostou em modelos totalmente brancos, uma possível herança dos vestidos de noiva que tornaram Vera famosa. No mesmo dia, apresentaram suas coleções Diesel e Narciso Rodriguez.

O penúltimo dia (14) foi marcado pelo aguardado desfile de Michael Kors. O estilista e jurado do reality show Project Runway apostou no militarismo, com criações femininas mas com um toque utilitário, criando um clima safári na passarela.

Nesta quinta-feira (15), Ralph Lauren e Calvin Klein encerraram a semana de moda. A coleção de Francisco Costa respeitou o minimalismo da grife, com cores pastéis e pantalonas. Já Ralph Lauren deu uma pitada de jazz ao verão: plumas, pantalonas também, vestidos de seda… Glamour é o que nos espera se Ralph estiver certo!

Modelo apresenta criação de Ralph Lauren (Foto: Getty)

Mas a temporada internacional continua: amanhã já começa a semana de moda de Londres! E eu estarei aqui, só acompanhando…

Celebridades na passarela

Duas cantoras também desfilaram suas grifes. Avril Lavigne apresentou a mais nova coleção da Abbey Down, mas o que chamou a atenção foi a presença de uma modelo de 14 anos na passarela, que era ninguém menos do que a cunhada de Avril. Gwen Stefani, a líder do No Doubt, também apresentou sua proposta para o Verão 2012 da marca L.A.M.B..

Flashes do desfile da Abbey Down, grife de Avril Lavigne

Gostaram? Detestaram? Acham que Londres vai ser mais legal? Comentem! 😀

Com base em matéria feita para o Portal da RedeTV!, publicada nesta quinta-feira (15)