SPFW, 1º dia: conversa com Constanza e Geisy Arruda

Ai pessoas, ontem fui ao primeiro dia de São Paulo Fashion Week (SPFW). Primeiro desafio: a fila para pegar a credencial. Acabaram misturando quem já tinha feito a credencial com quem ainda precisava fazer (como esta que vos fala), fora o pessoal da imprensa internacional, que, como sempre, tem prioridade no atendimento. Logo, nunca vi uma fila tão fashion antes…rs

Minha credencial descansando…logo logo tem mais! rs

Enfim, entramos (por “entramos” entenda eu e o outro repórter, Antenor). E logo fui envolvida por uma fina nuvem de gelo seco. A exposição “Universo Criativo – Projeto Brasil 2” está maravilhosa, com trabalhos de grandes estilistas como Herchcovitch, André Lima, Lino Villaentura e João Pimenta. Vale a pena conferir!

E vamos à sala de imprensa! Tudo muito organizado e confortável, se bem que em alguns momentos a conexão com a internet ficou um pouco lenta. Muitos jornalistas trabalhando ao mesmo tempo dá nisso…Primeiro desfile: Animale. Fomos entrevistar os famosos antes que eles entrassem na sala de desfiles. Conversei com Constanza Pascolato, Marina Ruy Barbosa, Fiorella Matheis e Ana Beatriz Barros, que desfila com exclusividade para a marca. Veja minha entrevista com a top clicando aqui. E, para  ver minha entrevista com Constanza Pascolato, clique aqui!

Assim como na última edição do SPFW, a Animale abriu a semana de moda com um desfile luxuoso. A marca trouxe a top britânica Rosie Huntington-Whiteley, estrela do último filme da saga “Transformers” para a passarela, assim como as beldades brasileiras Ana Beatriz Barros, Izabel Goulart e Aline Weber.

A coleção se inspirou no luxo dos antigos czares russos, com to veludo sendo a base para todo tipo de peças, de macaquinhos a ternos. A cartela de cores foi variada: passou pelo vermelho, champanhe e ouro.

A Animale também abusou das transparências e fendas, mostrando que vem por aí um inverno glamuroso.

Enviamos os vídeos para a redação e voltamos à luta! Próximo desfile: Tufi Duek. Eis que eu vejo uma loira toda de cor de rosa chegando. Ela mesma, Geisy Arruda. Falei com ela sobre moda e carnaval. Também estavam na primeira fila do desfile Larissa Maciel, que estava toda vestida de Tufi Duek (gente chique é outra coisa…) e Tainá Müller, toda apressada. Fiquei sabendo que a Carol Castro esteve por lá: para mim ela se materializou lá dentro, só pode ser. Assista minha entrevista com Larissa Maciel e Tainá Müller clicando aqui.

Tufi Duek deixa o Xingu, que inspirou a última coleção, e se volta para o minimalismo. Cores neutras e formas coladas ao corpo, que em alguns momentos chegaram a atrapalhar o caminhar das modelos, marcaram o desfile de inverno da marca. Mesmo apostando nos looks monocromáticos, a marca não deixou os metalizados de fora da passarela.

A peça chave do desfile foram os vestidos alongados, com volume localizado.

Mais vídeos enviados, lá vamos nós de novo. Desta vez o desfile, da Cori, seria na sala 3, a mais próxima da sala de imprensa, o que facilita a vida de quem já está um pouco cansado de caminhar pela Bienal inteira…mas que eu nem senti porque tudo é uma delícia quando a gente está trabalhando com o que gosta 🙂

Nenhuma celebridade à vista, fomos conversar com uma das maiores celebridades da própria RedeTV!: Iris Stefanelli. Coitada, também estava lá a trabalho. Só que eu tinha uma vantagem: não estava de salto. Iris desistiu e ficou descalça mesmo, fazendo a alegria dos fotógrafos de plantão. Conversamos sobre trabalho e casamento.

O inverno da Cori se baseia no hipismo. Os acessórios em especial chamaram a atenção: bolsas estruturadas eram carregadas nas mãos ou com um bastão de metal. O mix de tecidos e as saias lápis também marcaram a nova coleção.

A cartela de cores veio terrosa, com conhaque, marrom, verde e bege. Somente uma coisa fugiu do padrão dos cavaleiros: as botas, que vieram com saltos e bico fino.

Próxima parada: Osklen. A sala de desfiles demorou muito para abrir, então o corredor estava repleto de pessoas ansiosas. Mas nenhuma celebridade novamente à vista. Decidimos voltar para a sala de imprensa e enviar o vídeo da Iris, que não tinhamos conseguido mandar durante o desfile da Cori. Mas, antes disso, minha paixão por revistas falou mais alto: fui até o lounge da revista Estilo – que já estava fechando – e só pedi um exemplar da revista. Graça atendida!

Oskar Metsavaht usou sua coleção de inverno para fazer uma reflexão sobre a Agenda 21, documento que ressalta a necessidade do estudo sobre as questões socioambientais. Resultado: peças em tecidos orgânicos e tingimentos à base de vegetais.

Osklen também apostou que o azul Klein continuará firme e forte na próxima estação. Outras cores que apareceram na passarela foram verde e vermelho tomate. As peças da coleção apresentaram modelagem variada, marcada com bolsos e zíperes.

Saímos da Bienal por volta das 22h30. Tomamos uma chuvinha básica, mas a viagem para casa foi tranquila. Agora é pensar no que esta sexta-feira nos reserva 🙂

Tropical: aprenda a usar a estampa que é a cara do verão

Oi pessoas!

Nas últimas coleções, muitos estilistas brasileiros buscaram o próprio Brasil como inspiração. Surgiram, então, nas passarelas vestidos, blusas e calças com estampas tropicalíssimas: folhagens, araras, tucanos e por aí vai. Mas como entrar na onda sem ficar parecendo uma alegoria de Carnaval? Primeira regra: menos sempre é mais. Isto é, se você vai usar uma estampa tropical, combine-a com outras peças mais neutras. Se for um vestido, entre o tropical e o tropical-assimétrico-com babadinhos, prefira a primeira opção.

Inspire-se: vestido Água de Coco

Quando o assunto é estampa, tudo depende do seu corpo. Ou seja, se você tem…

…muito busto: tente usar blusas com estampas que criem uma ideia de listras verticais, para alongar a região. Decotes em U são bem-vindos também. Não quer arriscar? Que tal blusa lisa e calça estampada?

Inspire-se: camisa e calça Triton

…pouco busto: use blusas que criem a ilusão de listras horizontais. Uma boa opção é apostar nas frentes únicas, que realçam os ombros e aproximam os seios, fazendo com que eles pareçam maiores.

Inspire-se: biquíni Lenny

…sou baixinha: que tal começar a entrar no clima com um acessório? Colares criam uma linha vertical no centro da silhueta, alongando-a. Evite estampas graúdas.

Inspire-se: bolsa Triton

…sou muito alta: você pode unir duas tendências do verão, a estampa tropical e a saia longa. Esta peça, também super em alta, vai equilibrar sua silhueta. Não use a blusa da mesma cor da saia: “quebras” favorecem você.

Inspire-se: vestido Lenny


…estou acima do peso: escolha as estampas com fundo escuro, para não chamar tanta atenção para esta parte do corpo. Você também pode investir em camisas: o abotoamento reto cria a ilusão de alongamento.

Inspire-se: camisa Triton

Gostaram? Vão usar? Estão vendo o Fashion Rio? Eu também!

NEWS ALERT, NEWS ALERT!

Agora o Além das Tendências tem um novo cantinho, na RedeTV! Clique e confira 🙂

Aprenda a usar biquínis com as panicats

Sempre podemos encontrar roupas que escondam aquela gordurinha ali, que disfarcem aquela falha ali. Mas biquíni não tem jeito: ele mostra tudo. Porém, é possível usar a peça ao seu favor.

A professora de moda Andreia Miron, da Faculdade Santa Marcelina, lembra que uma das coisas que mais ajuda na hora de escolher um biquíni é comprar as peças separadamente. “Ter essa flexibilidade ao escolher as partes de cima e de baixo ajuda a montar o biquíni ideal”, resume.

As panicats Aryane Steinkopf, Babi Rossi e Jaque Khury são especialistas quando o assunto é biquíni. Todos os domingos, no Pânico na TV, elas apresentam os mais variados modelos. Veja alguns exemplos e anote as dicas para ficar ainda mais bonita neste verão.

 

EM CIMA

Cortininha: é o modelo mais vendido no Brasil. Não valoriza os seios pequenos, então é recomendado para quem tem seios médios, já que os grandes precisam de mais sustentação. Nesse caso, pode-se optar por um modelo com alças mais largas. Veja como Aryane usa o modelo:

Frente única: o desenho desse modelo chama a atenção para o centro do colo, disfarçando costas largas. “É o modelo menos indicado para quem não quer ficar com marquinha de sol”, ressalta Andreia Miron. Inspire-se no modelo escolhido por Babi:

Tomara que caia: além de não deixar marquinhas no ombro, o top tomara que caia ajuda a criar curvas. As mulheres que ficam bem de tomara que caia são as que possuem cintura reta ou são muito altas. “Quem tem busto grande deve evitar o tomara que caia, que pode dar a impressão de que os seios são caídos”, explica a professora de moda. Jaque Khury é fã do modelo:

Com bojo: é o que mais valoriza os seios. Se você tem seios médios, um top com bojo sem enchimento pode ficar melhor.

 

EMBAIXO

De amarrar: estes biquinis alargam a região dos quadris, então se essa não é sua intenção, fuja deles. Mas, se você está com o corpão em dia como Jaque Khury, invista na peça:

Cintura baixa: é uma boa pedida para quem tem tronco curto, pois alonga essa região, fazendo você parecer mais alta. Quem tem barriguinha saliente não deve usar esse tipo de biquíni.

Cintura alta (sunquíni): “é o que melhor ajuda a disfarçar a barriguinha, mas ‘corta’ o corpo de maneira desproporcional, achatando a silhueta”, explica a professora Andreia.

 

MAIS DICAS

Os tecidos estampados chamam a atenção. Sendo assim, se você tem muito busto, vale escolher uma peça estampada em baixo e uma lisa em cima. Muito bumbum? Estampa em cima, liso embaixo.

Você sabia que o mito das listras que engordam acabou? “Independente da posição, horizontal ou vertical, as listras não engordam”, revela a professora Andreia Miron. Ou seja, gordinhas podem parar de fugir das listras!

Drapeados e babados dão volume, sendo boas opções para as mais magrinhas. Veja o modelo tomara que caia que Aryane escolheu:

Matéria publicada no portal da RedeTV! nesta sexta-feira (6)