Crônica fashion: fábrica de roupas, fábrica de sonhos

Não sou dessas pessoas que dá trabalho para acordar cedo. Pelo contrário, até prefiro começar o dia um pouco antes. Só que acordar às 4h não é fácil, principalmente quando você chegou em casa quase meia noite. Contudo, o esforço valeria a pena: ia viajar para a cidade de Jaraguá do Sul (SC) e conhecer a fábrica da Malwee.

Depois de pouco mais de duas horas de viagem (avião + ônibus), cheguei à fábrica. Pela manhã, pude conhecer o que a marca planejou para sua coleção de inverno (a partir de março nas lojas!): referências do mundo do rock, aquecimento para a Copa do Mundo e os básicos que todo mundo já conhece.

malwee inverno 2014

Coleção da Malwee, super grunge…

foto (4)

…e da Carinhoso, para roqueirinhos! ❤

Vale lembrar que, além da Malwee, o grupo conta com as marcas Malwee Liberta (pijamas e roupa íntima), Malwee para brasileirinhos (infantil), Carinhoso (infantil), Zig Zig Zaa (infantil pedagógica) e Enfim (jovem).

Depois da apresentação (e de comer dois pedaços enormes de cuca, bolo tradicional catarinense), fui conhecer a fábrica mesmo. É realmente incrível ver a quantidade de gente e de máquinas que trabalham para que as roupas cheguem às lojas. A parte de estamparia foi a que me deixou mais impressionada, principalmente a digital; sério, é como uma impressora gigante! Só que ela imprime malha…

Muitas andanças depois, voltei para o ônibus e seguimos para o parque Malwee, que é aberto ao público apesar de ser conservado pela marca. Dica de turismo: vá conhecer este parque. Passeie pelo labirinto de flores, perca (ou ganhe?) tempo observando os lagos e almoce em um dos restaurantes, só que nada de comer o básico. Se jogue na culinária alemã #amo/sou

foto (3)

Labirinto de flores do parque Malwee

À tarde fomos conhecer as lojas mock up; são lojas de mentirinha, mas que já são montadas pensando em como as lojas de verdade poderão expor os produtos da nova coleção. É bem legal! As coleções de cada marca Malwee foram apresentadas por suas estilistas. É interessante entender de onde vieram as ideias para estas roupas.

foto (6)

 

Olha só essa mesa de café da tarde, que amor ❤

Para arrematar o dia, compras! Parti para uma loja da Enfim, mas confesso que não comprei muita coisa, não. Aliás, já que estamos fazendo confissões, aqui vai mais uma: detesto provar roupas. De-tes-to. Acho que por isso que aderi tão rápido a compra de roupas pela internet, onde posso experimentar as peças no conforto do meu quarto. Não serviu? Devolve e segue a vida.

São dias como este que me fazem perceber o quanto o mercado da moda mexe com tantas pessoas, em tantos lugares do Brasil. Essa viagem, por mais curta que fosse, fez com que eu me apaixonasse de novo pela moda. Tanto que estou de volta ao blog!

***

E hoje é dia de Oscar, bebê! A TNT transmite a premiação a partir das 22h30 e eu, como você, estarei grudada no sofá para conferir os vencedores, a apresentação da diva Ellen DeGeneres e, claro, os looks das famosas. Como sou uma pessoa levemente viciada em redes sociais, estarei tecendo meus comentários pelo Twitter. Clica aqui, passa lá e vamos juntos!

frozen-oscar-indicado-let-it-go-922x620

Alguma dúvida sobre para quem é minha torcida?

 

Esquenta Rock in Rio: Pearl Jam e como o grunge virou moda

[Para ler ouvindo: Jeremy – Pearl Jam]

Continuando nossa série pré-Rock in Rio (se você perdeu o post de ontem, clique aqui e dê uma olhada), o assunto de hoje é grunge. O estilo consagrado pelos rebeldes de Seattle, nos Estados Unidos, foi um dos bons casamentos entre moda e rock: o que era para ser um estilo alternativo acabou se tornando tendência. Mas, como de costume, vamos um pouco mais além nessa tendência…

Pearl Jam e as sobreposições: jaqueta sobre camisa sobre camiseta

O grunge se estabeleceu no final dos anos 80, início dos 90. Pearl Jam e o Nirvana de Kurt Cobain construíram essa história na música e este estilo de vida. Para se vestir, camisas xadrez, roupas desalinhadas e muitas sobreposições. Nos pés, coturnos ou All Star. Identificou-se com algum desses itens? Pois é, o grunge permanece presente na moda até hoje, com maior ou menor intensidade.

Kurt Cobain ditou mais que moda; ditou estilo de vida. O suéter que ele usa nesta foto está exposto em um museu de Seattle

O estilo caiu nas graças dos fashionistas em 1992, quando a Vogue americana dedicou 10 páginas da revista para uma matéria sobre o estilo. E, assim como Vivienne Westwood está para o punk, Marc Jacobs está para o grunge. Só que com uma diferença: quando começou sua aventura pelo estilo, Marc, que ainda era estilista na Perry Ellis, criou uma coleção para a casa de moda inspirada no estilo de Cobain e sua turma, mas as roupas vieram exuberantes demais para o estilo. Para se ter uma ideia, Marc Jacobs trouxe para a passarela camisas “flaneladas” de seda. A coleção, claro, era muito cara e não vendeu tanto quanto se esperava.

Look do desfile de Marc Jacobs para Perry Ellis, em 1993

E por que raios você decidiu falar de grunge hoje, Carol? Por duas razões: hoje, dia 20, foi lançado mundialmente o “Pearl Jam Twenty”, documentário que relembra os 20 anos de carreira do Pearl Jam. Apesar de não se apresentarem no Rock in Rio, a banda já está arrumando suas malas para o Brasil. O Pearl Jam se apresenta em terras tropicais em novembro, com shows em São Paulo (3 e 4), Rio de Janeiro (6), em Curitiba (9) e em Porto Alegre (11).

Já a outra razão tem a ver com os três anos de namoro que eu recém-completei ontem com Rafael Balago. As músicas do Pearl Jam marcaram o começo do que seria a melhor coisa que já me aconteceu na vida (ownnnn….rs). Além do marco romãntico, ontem também foi lançada uma versão de luxo de “Nevermind”, disco clássico do Nirvana que também completa 20 anos.

Voltando à moda, para aderir o estilo grunge é bem fácil. Aos iniciantes, indico usar All Star preto básico: é simplesmente o calçado mais confortável e perfeito que existe. Aos intermediários, tentem uma sobreposição de camisa e camiseta, tentando não se preocupar muito com os tons de ambos mas sem investir em cores muito alegres, como amarelo e laranja. Para os meninos que quiserem arriscar, indico coturnos e jeans rasgado no joelho. Para as meninas, que tal um vestido esvoaçante com um coturno ou sandália pesada? E que tal uma camisa por cima? Ficam as dicas 😉

Gostaram? Detestaram? Querem mais? É só esperar até amanhã…e o Rock in Rio chegando, gente…